Seguro agrícola indeniza produtores rurais na Bahia


Mais de 400 produtores foram prejudicados, principalmente as propriedades estabelecidas na região que compreende o extremo oeste baiano 

O longo período sem chuvas na Bahia provocou uma seca severa, que atingiu 177 mil hectares e prejudicou produtores rurais de todo o estado. As lavouras mais afetadas foram as de soja, milho, algodão e café.

Segundo o GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE, que detém 70% do mercado de seguros rurais do país, mais de 400 produtores foram prejudicados, principalmente as propriedades estabelecidas na região que compreende o extremo oeste baiano (Baianópolis, Barreiras, Correntina, Cotegipe, Formosa do Rio Preto, Jaborandi, Luis Eduardo Magalhães, Riacho das Neves, Santa Rita de Cassia e São Desiderio).

Para reparar as perdas dos agricultores, foram pagos aproximadamente R$ 118 milhões em indenizações, englobando uma área de 117 mil hectares. O valor é o maior já pago pela seguradora em cinco anos de operação. Wady Cury, diretor geral de Habitacional e Rural da seguradora, conta que a seca afetou todas as etapas de desenvolvimento da planta, desde a fase inicial até o enchimento dos grãos, comprometendo todo o processo de produção.

“Mais de 50% dos produtores que contrataram o seguro agrícola no estado registraram perdas em suas plantações por motivo de seca, muito severa este ano”, explica.

Fonte: Sindsegsp

Matérias Relacionadas

0 comentários