sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019


(Fonte: Calcário)


Um dos temas mais abordados no último Enacal foi a questão da profundidade das raízes. O evento, ocorrido em Porto Alegre (RS), reforçou a necessidade de que produtores e profissionais da área estejam atentos diante dos impactos que as mudanças, como as climáticas, ocasionam na produção.

Períodos de chuva intensa ou de estiagem prolongada têm sido obstáculos para a agricultura nacional. O desequilíbrio afeta custos e reduz resultados.

Pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas (IAC) e um dos principais especialistas na correção da acidez do solo, José Antônio Quaggio defendeu aumentar a profundidade do sistema radicular. Para ele, ameaças vividas pelos produtores, como chuvas intensas, exigem uma nova postura.

Já o professor doutor Silvino Guimarães Moreira avaliou que esse processo precisa ocorrer, mas com acompanhamento técnico que permita avaliar os resultados e fazer correções de rumo.

O Enacal é o encontro nacional que reúne, anualmente, os produtores de calcário.

Veja o vídeo com fala de Quaggio – clique aqui.

Assista ao comentário do professor Moreira – clique aqui.
Data: 08/02/2019
 

Fonte: Assessoria de Imprensa - Abracal

Profundidade da raiz impacta resultados no campo

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019



A correção da acidez de solo é uma questão de segurança alimentar no Brasil. O uso de corretivos, como o calcário agrícola, fornece nutrientes que permitem uma melhor produtividade das culturas. 

A análise é do deputado estadual Ernani Polo, do Rio Grande do Sul. Polo é uma das principais lideranças quando o assunto é agricultura no seu estado. Já foi secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação dos gaúchos. 

Uma de suas principais ações foi o programa "Conservar para Produzir Melhor", que focou na questão da qualidade do solo como forma de ampliar a produtividade agrícola no estado. Por sua atuação, presidiu, no ano de 2017, o Conselho Nacional dos Secretários de Estado da Agricultura. 

Polo é atualmente deputado estadual, tendo sido reeleito com mais de 67 mil votos para a legislatura 2019-2022. Ele esteve na última edição do Enacal, realizado em Porto Alegre. 

Confira o áudio com a fala de Polo – clique aqui

Fonte: Assessoria de Imprensa - Abracal

"Correção do solo é questão de segurança alimentar", diz deputado



O perfil do solo precisa cada vez mais ser avaliado pelo produtor rural. A partir desse processo, pode-se estabelecer a construção e a manutenção de um solo que amplie os resultados para os negócios e para o meio ambiente. 

O tema foi um dos itens discutidos no último Enacal, o encontro de produtores de calcário agrícola, no ano passado, em Porto Alegre. Ele ganha força na medida em que avaliações feitas por órgãos especializados apontam a acidez do solo como um dos entraves para melhores resultados no agronegócio. 

O problema está em grande parte das áreas cultivadas no Brasil. No Rio Grande do Sul, estudo da Cooperativa Central Gaúcha Limitada (CCGL) apontou que 42% das lavouras pesquisadas apresentavam alta ou muita acidez. O estudo coordenado pelo especialista e professor Jackson Fiorin envolveu 114 mil análises de solo feitas por mais de 13 mil agricultores em 256 municípios do estado. 

"Temos difundido a visão de que o agricultor, ao aplicar corretivos como o calcário, amplia resultados sem precisar de novas áreas plantadas", afirmou o presidente da Abracal, Oscar Alberto Raabe. Quase 40% das propriedades gaúchas pesquisadas necessitam aplicar mais de 5 toneladas de calcário por hectare. 

A correção ajuda na preservação. A oferta de água é ampliada, segundo explicou no encontro Pedro Luiz de Freitas, pesquisador da Embrapa Solos. 

Reveja a entrevista de Freitas ao site da Abracal – clique aqui.
Fonte: Assessoria de Imprensa - Abracal

Perfil do solo: produtividade no campo, ganho para o meio ambiente

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018



O público da capital conheceu, em primeira mão, as novidades que aguardam a 14ª edição da Bahia Farm Show, que acontecerá daqui a seis meses, em Luís Eduardo Magalhães. Foi em Salvador que a maior feira de tecnologia agrícola e de negócios do Norte e Nordeste e a segunda do País foi oficialmente lançada, durante a Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro).

Em uma cerimônia que reuniu autoridades, expositores, produtores rurais, representantes do governo e de instituições financeiras, o público da capital pôde conhecer mais sobre o evento que acontecerá entre os dias 29 de maio a 02 junho de 2018.

De acordo com a coordenadora da Bahia Farm Show, Rosi Cerrato, as expectativas para a próxima edição são as melhores possíveis, visto que a Feira tem um histórico de crescimento ano após ano. “Nossa feira, que já tem destaque no cenário regional e nacional, agora está tomando proporções internacionais. No ano passado já tivemos alguns expositores estrangeiros, que nos procuraram em função da credibilidade da nossa marca. Agora, formos surpreendidos pelo grato convite, oriundo do governo, para levarmos à Bahia Farm Show o salão de consulados, tendo representações de vários países. Isso, sem dúvida, agrega valor ao nosso evento”, anunciou.


Nas duas últimas edições, a Bahia Farm Show superou a marca de R$ 1 bilhão de reais em volume de negócios. A expectativa é manter as cifras no próximo ano, a fim de continuar figurando entre os três maiores eventos do setor no País.

Para o presidente da Aiba e da Bahia Farm Show, Celestino Zanella, os números alcançados refletem a força do agronegócio do oeste da Bahia. Além do montante faturado, o evento registrou a presença de mais de 63 mil visitantes durante os cinco dias. Dezenas de palestras, workshops, debates e fóruns integraram a palestra de programação e enriqueceram os participantes.

“A nossa feira tem para a nossa região a mesma importância que a Fenagro tem para Salvador. E a intenção é que levemos para lá algo tão grandioso em termo de pecuária como o que vimos aqui, pois a integração entre a agricultura e a pecuária é uma tendência mundial. Tudo é agro. É uma feira de conhecimento, de encontros e, claro, de bons negócios para o agricultor”, comentou o presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) e da Bahia Farm Show, Celestino Zanella.


Segundo ele, a seis meses do evento, a organização já contabiliza quase 70% dos espaços ocupados na área do parque e 100% no galpão coberto. Para 2018, são esperados mais de 200 expositores e 700 linhas de produtos e serviços expostos, levando soluções e tecnologias para o pequeno, médio e grande produtor. “A agricultura não é uma questão de tamanho e sim de escala. Não importa o tamanho da área plantada, mas a qualidade dos produtos. E é lá na feira que os produtores vão buscar os subsídios que garantem essa qualidade”, pontuou, se referindo a sementes, fertilizantes, equipamentos, softwares, maquinários, veículos e os demais insumos necessários.

Entre os expositores estão seis instituições financeiras que levarão linhas de financiamentos atrativas e taxas reduzidas para o produtor rural continuar fazendo bons negócios.


O secretário de Agricultura do Estado, Vitor Bonfim, destacou a importância do agronegócio para a economia nacional. “É o segmento que mantém a nossa balança positiva. Realizar uma Feira desse porte em uma cidade do interior baiano é muito interessante, pois gera emprego direto e indireto, além de trazer ao produtor rural tudo que ele precisa. Antes da Bahia Farm Show os agricultores precisavam ir a outros estados e até outros países para conhecer as tecnologias mais modernas aplicadas no campo. Agora, elas vão até eles”, pontuou.

A Bahia Farm Show é organizada pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), com o apoio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Fundação Bahia, Associação dos Revendedores de Máquinas e Equipamentos Agrícolas do Oeste da Bahia Ltda. (Assomiba) e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães.

Fonte: Ascom Aiba Fotos: Heckel Junior/Ascom Seagri

BAHIA FARM SHOW 2018 É OFICIALMENTE LANÇADA EM SALVADOR

segunda-feira, 29 de maio de 2017



Com o tema “O Potencial Hídrico do Oeste da Bahia”, o Fórum do Canal Rural abre os debates e eventos técnicos da Bahia Farm Show 2017, na terça-feira (30), dia do início da feira. Para conduzir as discussões, foi escalado um time de grandes nomes, com representantes do agronegócio e de órgãos ambientais, além de acadêmicos e pesquisadores do tema.

Transmitido ao vivo, das 14h às 16h, o fórum contará com a participação do produtor rural, irrigante e presidente da Aiba, Celestino Zanella; do secretário estadual de Meio Ambiente, José Geraldo dos Reis Santos; do secretário estadual de Agricultura, Vitor Bonfim; do professor da UFV, pós-doutor em recursos hídricos, Fernando Pruski; e dos presidentes da Abapa e da Fundação Bahia, Júlio Cezar Busato e Ademar Marçal, respectivamente.

O tema em pauta vem em um momento bastante oportuno. “Estivemos, em abril passado, nos Estados Unidos, para visitar o Water for Food Global Institute (Instituto Global Água para Alimentos), a fim de firmar uma parceria com estudiosos da Nebraska Innovation Campus – Lincoln – USA, que pretendem desenvolver uma pesquisa científica sobre o potencial hídrico do oeste baiano”, destaca o presidente da Aiba, Celestino Zanella.


Segundo ele, o objetivo da parceira é viabilizar o estudo e monitoramento do Aquífero Urucuia, a fim de quantificar a disponibilidade de água e a sua importância para o abastecimento de rios, inclusive em outras regiões do País. A ideia é garantir a segurança hídrica para manter a irrigação voltada para produção de alimentos.

Agora, o tema ganha espaço também no ambiente da Feira, com o Fórum do Canal Rural, considerado um espaço aberto ao diálogo e a troca de sugestões, orientações e ideias que fazem parte do dia a dia do produtor. O evento é uma realização do Canal Rural e da Associação de Produtores e Irrigantes da Bahia – Aiba. No decorrer do programa, presentes e telespectadores de qualquer parte poderão tirar dúvidas e esclarecer questões relativas aos assuntos que são focos das discussões, enviando perguntas pelo WhatsApp do Canal Rural pelo número (11) 9824-0011 ou, por intervenções presenciais.

O Fórum será transmitido, ao vivo, pelo Canal Rural a partir das 14h, nos canais NET 185, SKY 159, CLARO 185, OITV 179, além das parabólicas digitais e analógicas. A apresentação será da jornalista Pryscilla Paiva.

Fonte: Araticum

POTENCIAL HÍDRICO DO OESTE DA BAHIA SERÁ TEMA DE FÓRUM DURANTE A BAHIA FARM SHOW


Evento será em complexo na cidade de Luís Eduardo Magalhães. Este ano houve um incremento de 15% na procura de novos expositores.


Última edição do Bahia Farm Show movimentou mais de R$ 1 bilhão (Foto: Divulgação)

A 13ª edição da Bahia Farm Show, acontece entre os dias 30 de maio e 3 de junho, em Luís Eduardo Magalhães, oeste da Bahia. De acordo com a organização, a perspectiva é de bons resultados porque, há dois meses para a realização do evento, 90% dos espaços já estão reservados por expositores. Este ano houve um incremento de 15% na procura de novos expositores.

Ainda conforme a organização, as chuvas bem distribuídas na região de Matopiba prometem uma boa safra para os agricultores. Assim, o resultado da colheita farta será refletida diretamente nos números finais da Feira, com a expectativa de fechar bons negócios.

A última edição da Bahia Farm Show movimentou R$ 1,014 bilhão, reunindo cerca de 200 expositores de maquinários, software, veículos, sementes, defensivos e insumos agrícolas. Ao todo, cerca de 600 marcas foram expostas, atraindo um público de mais de 60 mil visitantes ao longo de cinco dias de Feira.

A feira também terá participação de agentes financeiros públicos e privados, com opções em financiamentos e linhas de crédito específicas para o setor agropecuário, taxas de juros convidativas, além de condições elásticas e facilitadas de pagamento.

A Bahia Farm Show é organizada pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba).

SERVIÇO

Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Horário de funcionamento: 9h às 19h
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia

Fonte: G1 BA

Bahia Farm Show acontece de 30 de maio a 3 de junho no oeste da Bahia

quarta-feira, 24 de maio de 2017



24 de Maio - Dia do Calcário Agrícola